Um novo desafio: casamento no Egito


Algumas vezes converso com amigas envolvidas com egípcios e elas sempre comentam sobre o número de egípcios que estão online atrás de mulher. Pode reparar, se você ficar online um pouco no “skype me”, logo eles aparecem, seguidos dos paquistaneses e turcos. Eu não sei bem porque isso acontece, mas posso deixar alguns fatos aqui para comentar com vocês.

Eu sempre acompanho notícias pelo mundo, especialmente no que se relaciona ao Egito. Um dos meus jornais prediletos é o New York Times, porque sempre trazem o lado humano de cada história e os articulistas realmente escrevem de forma sensacional. Eis que um dia, caçando notícias sobre o Egito, me deparo na home page do http://www.nyt.com um vídeo falando sobre casamento no Egito.

O artigo tentou unir alguns fatos: problemas econômicas, falta de oportunidades e dificuldade para se passar para a vida adulta. No Egito, não sei se já falei, não é comum esta coisa de namoro como nos países ocidentais. Ninguém fica de beijo e intimidades antes do casamento. Aliás, eu conheci egípcios que terminaram um noivado porque a noiva aceitou dar um beijo. Para eles, isto é prova de que ela é fácil e pode ter feito isto com vários outros.

Nem vou discutir se isso é justo ou não, mas é fato que muitos homens geralmente acabam fugindo das regras e fazem coisas antes do casamento, mas as mulheres devem se manter o mais puras possíveis até o casamento. (Não se iluda muito se seu “habiby” jurar de pé junto que nunca tocou uma mulher, nunca beijou, etc. Mesmo ele rezando todo dia, se mostrando o mais puritano dos mundos, pode ser que seja só conversa para te testar, tá?)

Bom, voltando ao artigo, ele é um dos muitos que retrata os resultados do aumento da pobreza no Egito. Por lá, grande parte dos jovens consegue se formar em faculdades, mas isso não significa que poderão trabalhar naquela área que gostam. Já vi egípcios formados em engenharia atuando como garçons, garotas formadas em inglês trabalhando de graça por anos até serem consideradas aptas para uma vaga formal. Áreas como direito, psicologia, assistência social e outras de humana, então, difícilmente ajudam os jovens a poder sonhar com um futuro decente. No Egito não existe estágio também, geralmente os jovens estudam apenas até se formarem, e dependem dos pais por muitos anos. Para ser trainee, só trabalhando de graça mesmo, e sendo bem explorado. Quando saem da faculdade, a maioria nunca entrou numa empresa na vida, e acaba sem chances mesmo de fazer algo com a profissão que aprendeu. Isso gera uma frustação muito grande, falta de perspectiva.

Quando se é jovem, além de se esperar uma boa carreira, o sonho dos egípcios é constituir uma boa família, pois isso é extremamente valorizado no país. Um casa honesta, com filhos, é algo que todos almejam. Mas para casar, entram detalhes da cultura egípcia que se contrapoem a esta realidade atual do país. A noiva geralmente exige de cara um apartamento na região onde quer viver, mobília, festa e outros presentes, como ouro. O custo disso tudo é bem alto. Segue um gráfico do NYT:

Valores em dólares

Ou seja, para casar, um egípcio precisa de 21 mil dólares. Com um salário médio de 100 dólares por mês, vocês imaginam que isso se torna uma missão praticamente impossível.

Com esta realidade, a geração jovem atual está frustrada não só profissionalmente, mas emocionalmente também, porque é muito difícil cumprir esta passagem para a vida adulta, de ter uma esposa e poder ter uma família. Além disso, com casamentos cada vez mais tardios, abre-se margem para a promiscuidade e prostituição no país, pois nem todo mundo agüenta se segurar ou vai passar a vida na castidade. Sei que é algo meio duro de se pensar, mas é o Egito de hoje. E aí, na minha visão, corre esta fuga em massa para a internet, gente pedindo em casamento estrangeiras a cada instante sem mal conhecer a pessoa, trocando arquivos pornográficos, buscando uma mulher de fora que não siga os rígidos padrões de sua sociedade e onde ele pode afogar suas angústias. A mulher estrangeira não exige apartamento, ao contrário, ela oferece dinheiro para ajudar. Ela também não está só focada em ter uma casa cheia de filhos, mas também compartilhar angústias e trocar idéias sobre o mundo, e isto é um paraíso em meio as pressões que este jovens vivem.

Pode sair amor disto sim, e também nem todos se enquadram nesta realidade que estou relatando. Tem muita gente com condições de casar nos moldes egípcios ainda, mas estes são raros na internet. Existem também o tipo de egípcio que sai fora do padrão, não aceitando esta imposição e a maneira das mulheres egípcias encararem o casamento. Mas tenha muito cuidado ao analisar a situação, avaliando comportamentos dele e de que forma ele encara esta relação.

O ideal é que ele te trate como trataria uma mulher egípcia, pois isso é a base de respeito dele. Ou seja, você precisa ser devidamente apresentada – e ser aceita – pela família. Ele precisa oferecer coisas, não pedir nunca nada material a você. Ser extremamente respeitoso e não migrar para assuntos íntimos. Não mande fotos suas de roupa curta, decote, muito menos de biquini… Provavelmente ele vai repartir estas fotos com todos os amigos do cyber café. Não seja boba ou ingênua, exija muito dele antes de se comprometer financeiramente em uma viagem tão distante e ir contra a sua família (porque sua família vai encher o seu saco se você disser que ama um egípcio.)

Falo tudo isso para que todas tenham o maior discernimento possível antes de começar uma jornada destas. O resultado pode ser incível e recompensador, mas tenha um risco calculado!

Algumas fotos da reportagem do New York Times, mostrando alguns detalhes do casamento:

Jovem casal escolhendo alianças

O katb ketab (casamento) na mesquita

obs. A reportagem ainda fala do aumento da religiosidade em face a esta opressão econômica, o que discordo em grande parte, porque países muito ricos como Arábia Saudita e Kweit também colocam a religião como algo muito importante em suas nações. Mas isso é papo para outro post. A reportagem original está aqui.

Anúncios

Sobre Masr culinária mediterrânea

Encomendas para Zona Oeste e Centro de São Paulo. Outras localidades sob consulta. Como trabalhamos com matéria-prima fresca, o ideal é que pedimos sejam feitos com antecedência.

Publicado em setembro 30, 2008, em No Egito e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 13 Comentários.

  1. eid mubarak!!!
    assalam aleikum Marina,
    ainda tem uma taxa, é um seguro pago pelo homem, cerca de 3.000 pounds.
    o governo implantou esta taxa com a desculpa que seria para esposa usar este valor caso acontecesse algo com o marido, mas eu pergunto: “o q vc faz com 3 mil pounds e por qto tempo vc poderia suprir as necessidades de sua familia com este mesmo valor?”
    na minha opnião e creio q na de muitos também esta taxa só veio para evitar mais casamentos e o constante crescimento das familias egípcias, porém submetendo a jovem população a angústia e a sonhos que por muitas vezes serão adiados.
    salam ya azizty

    Marina – Kolo sana enty tayeba! Eu ouvir falar desta taxa de seguro também, mas qdo casei ainda não tinha.. é cada coisa, pq a esposa para casar geralmente já tem mtas coisas, como apartamento, mobília… E a taxa de divórcio nem é tão alta assim, não entendi bem qual o intuito disso. Acho que é aumentar a arrecadação, pq ela só pode usar este dinheiro se algo acontece, e se nada acontecer o governo fica com a grana!!

  2. Nossa, Marina, interessantíssima a relação que você fez entre a reportagem do New York Times, e suas experiências na internet. Há muito tempo venho me questionando por que é, que tantos árabes ficam em busca de mulheres estrangeiras para casamento, com tanta facilidade.
    Na minha concepção, eu imaginava é que é por que eles eram muito romanticos e tudo o mais. Mas vejo que tem todo um contexto, da situação atual de seu país, como por exemplo a crise que está acontecendo no Egito.
    Gosto de um egípcio, que já não sei se gosta de mim, e nunca entendi certas atitudes dele. Fico mais aliviada, pois nos conhecemos não através desse típico caso ‘skypeme mode’, mas sim atraves de sua irmã, e já somos amigas há muito tempo. Então sei que tem algo diferente aí.
    E andei repensando, sobre como ele me tratava e se isso correspondia ao tratamento que ele daria a uma mulher egípcia, e é muito interessante saber de tudo isso, já que isso não tem em livro nenhum.
    Você é muito inteligente e o seu blog tá uam delícia de ler.
    Fiz questão de vir aqui comentar, pois imagino que não ter retorno quando se faz um blog como o seu, deve ser desmotivante. Mas tenha certeza que muita gente lê, e as vezes não comenta por pura preguiça. Coisas da raça humana.
    Mil beijos,
    Jessica.

  3. Oi Marina! Achei este teu post muito interessante e rico, já que vc fez um paralelo da sua experiencia e da reportagem, tornando mais claros alguns pontos importantes que podem ser observados, só nas entrelinhas, após muita atenção e pesquisa. Agradeço pelos alertas que sem duvida irá ajudar muitas pessoas.

    Abraços

  4. AMIGAS QUERIDAS, ACABO DE ME ENVOLVER COM UM EGIPCIO QUE QUER LARGAR O EGITO PRA VIR MORAR NO BRASIL POR MINHA CAUSA(DEPOIS DE APENAS 2 SEMANS DE NAMORO !!!), E DEPOIS DE LER ISSO TUDO, FIQUEI COM 500 PÉS ATRAZ…. ENTAO A MAIORIA BUSCA NAS OCIDENTAIS A PERSPECTIVA DE COLOCAR MENOS A MAO NO BOLSO PORQUE SOMOS DE UMA CULTURA ONDE A MULHER NAO FAZ GRANDES EXIGENCIAS ECONOMICAS? ENTAO ENTRAMOS COM O ROMANTISMO E ELES COM A ALEGRIA DE NAO PRECISAREM COLOCAR TANTO A MAO NO BOLSO? ESTOU DECEPCIONADA AMIGAS…. ADORARIA PODER FALAR MAIS COM VOCES, TROCAR MAIS EXPERIENCIAS…. MEU EMAIL: UNDICLOSEDRECIPIENTS2@YAHOO.COM.BR

    GRANDE ABRAÇO, VOU CONTINUAR ACOMPANHANDO VOCES !!!

  5. Olá Marina. Agora assustei! Estou me correspondendo com um egípcio há quase dois anos. Eu tenho filhos de idade dele, 35. Sou independente. Ele me pediu em casamento na segunda vez que teclamos. Uma hora diz que virá p o Brasil, outra diz q talvez seja melhor que eu vá p o Egito e vai por aí. Na toada que vc tão bem descreve. Minha família já me encheu o saco de montão tambem, diz q eu sou louca, eu concordo, sou mesmo…..mas não a ponto de mandar dinheiro a quem nunca ví na vida! Ele nunca me pediu!Enfim, estou dentro do perfil em que vc menciona. Todavia, a postura dele até agora tem sido no mínimo séria. Mas, falamos intimidades e até já mandei fotos para ele de bikini. Moro no litoral e minhas roupas são, digamos, vazadas!
    É mulçumano, o que muito me preocupa, pois a diferença de cultura já é gigantesca sem mencionar a religião, pois sou católica! Ele diz q terei a mesma liberdade depois de casada, ou seja, viajar sózinha para ver meus filhos e família, que não preciso mudar nada, etc. Segundo o que leio e apurei, mulher no Egito não tem nenhum privilégio como temos aquí. E vc tbm reitera isso nos seus artigos.
    Desde o começo ele me chama para ir p lá, eu dizendo sempre q não disponho de meios p viajar, mas ele insitia em pagar a passagem. Agora não mais, diz q empregou o dinheiro e que a soma está indisponivel no momento. Eu digo então, que ficamos num caso impossível, que eu muito menos disponho dessa quantia. E por aí vai.
    Agora realmente não sei mais q pensar, vc confirma os medos de minha nora.
    Por um outro contato na internet, por coincidencia o rapaz é da mesma cidade deste meu egípcio, fico sabendo que a família dele é muito ilustre e muito rica. O que não significa q ele seja tambem. Tudo isso virou um turbilhão de dúvidas presentes em minha cabeça. Não estou interessada no dinheiro, apenas precaução p não sofrer um golpe. Na verdade, foi muito interessante deparar com seu bog, estou inclusive engrossando as fileiras de mulheres disponíveis para egípcios darem golpe, o que não quer dizer que aconteça. Adorei tudo que escreveu! Maravilhosos seus artigos e o blog em sí.
    Um abraço carinhoso.

  6. Oi Marina!

    Esse artigo chegou numa ótima hora para mim! Foram abordadas várias coisas interessantes, tanto as dificuldades financeiras como as emocionais.
    Agora posso ver como é difícil um casamento no Egito. Realmente é muito caro. Para alguns é mais cômodo casar com uma estrangeira, por conveniência. É um risco que corremos.
    Por isso resolvi conversar melhor com o Ahmed para entender melhor as intenções dele…

    Salam

  7. joana rodrigues dorneles

    GOSTARIA DE ME CASAR COM UM HOMEM DO EGITO POR PROCURAÇAO
    QUAIS PAPEIS PRECISO?POR FAVOR ME EXPLIQUE.TUDO EM DETALHES.AGUARDO ANSIOSA SUA RESPOSTA.

  8. joana rodrigues dorneles

    AGUARDO SUA RESPOSTA PARA CASAR COM UM HOMEM EGIPICIO POR PROCURAÇAO POR FAVOR .OQUE PRECISO?GRATA

  9. Marina, você teria alguma informação quando no caso, o egípcio é cristão? Estou “namorando” um na internet há 2 meses, já me apresentou toda a familia, fala em casamento todos os dias, ele é realmente um docinho. MAs sabe como é né? Quando a esmola é demais, o santo desconfia. 🙂

  10. Nossa Marina, valeu por este artigo!

  11. oi,marina ,eu namoro pela internet um egipicio a 9 meses ,e não entendo as vezes o amor que ele diz que sente por mim,me apresentou a toda a familia dele me deixa a par de todo acontecimento a familia dele e adicionada em meu facebook,me liga no meu celular quando não estou online,todos os dias está me esperando para conversar comigo online sendo que lá e 3,4,5 horas da manhã, nunca me pediu nada e me disse que quer casar comigo e vem ao brasil esse ano para isso ,confeso que ainda tenho dúvidas. o que acha?
    obrigada,yva

  12. Aisha Wyterlin

    Assalam walaikum Marina, amo seu blog e vire e mexe estou aqui lendo alguma coisinha…. Bom! eu quero saber se isso tudo também vale para segunda esposa? Pois é, estou “namorando” um egípcio a 2 semanas e recém ontem ele falou sobre casamento, mas ele me perguntou se eu me importaria de ir para o Egito? eu disse que não! claro! mas ele já tem uma esposa e dois filhos (pequenos) eu sou muçulmana há 4 meses apenas, mas se o Alcorão diz que ele tem direito de ter até 4 esposas (tendo condições para isso) eu aceito… Mas o que me deixa em dúvidas é exatamente isso, a esposa, ela pode ser contra? não aceitar? e fico imaginando como seria lá, morar, entende? acho que em relação aos costumes das mulheres eu não teria problemas, ou poucos até me acostumar… Mas na verdade o que quero saber é: a família dele vai ter que me aceitar? aprovar nosso casamento? e outra coisa que não só eu tenho dúvidas, mas outras irmãs tbm…. o dote… o que pedir? como pedir? Marina, por favor vamos conversar pelo meu e-mail?…..que já esta na caixa…….bjinhos Marina….Salam.

    • Marina Faleiros

      te respondi por email, mas caso algum venha a ler este comentrio no blog, eu adianto que ser segunda esposa hj em dia no algo bem aceito socialmente no Egito e nem mesmo muito aceitvel do ponto de vista religioso, j que existem diversas condies para um casamento poligmico difceis de serem preenchidas hj. Primeira coisa, pense e reflita, no se deixe enganar por quaisquer palavras!

      Em 12 de abril de 2013 16:08, Egito e Bras

%d blogueiros gostam disto: