Lembranças


Hoje passei no blog da Mariachiquinha e tinha um poema de Neruda. Fiquei tocada não pelo poema em si, mas pela lembrança de um momento. Na nossa vida passamos por várias coisas que nos marcam profundamente. Eu tenho um problema sério, eu sou ruim de memória. Não lembro nem os rostos das pessoas direito, preciso ver várias vezes para lembrar.

Histórias também se perdem na minha cabeça, misturo um pouco e às vezes perco aquilo para sempre. Momentos bonitos também. Às vezes quando eu era criança alguém comentava “lembra daquele dia etc etc etc”… e eu não lembrava de nada! Aí comecei a ficar com medo de esquecer das coisas boas. Tinha medo de viver alguma experiência linda e depois no futuro esquecer daquele momento sublime. Então desde uns 10 anos de idade criei uma técnica própria para não esquecer as coisas: quando algo realmente me toca e quero deixar aquilo para sempre na memória, eu preciso mentalizar “eu não vou esquecer disso”.

Presto atenção nos detalhes e fico repetindo dentro de mim “você não vai esquecer disso Marina, não vai esquecer”. E funciona quase sempre. E uma desta lembranças trabalhadas por mim tem a ver com Neruda. E resolvi contar aqui alguns dos melhores momentos da minha vida para vocês, que guardei na lembrança:

– Em Isla Negra no Chile, casa de Pablo Neruda à beira do Pacífico. O dia estava frio e cinzento e sentei com meus irmãos nos rochedos. Resolvemos não pagar a entrada para ver a casa por dentro, apesar de não ter nada mais para fazer ali. Éramos todos inquietos, passamos a adolescência brigando todos os dias e, de repente, estávamos os três ali sozinhos, lado a lado, apenas contemplando a vida. Foi uma viagem incrível, sem dinheiro e sem os pais.

photo20040516185347

Minha irmã em Isla Negra

– Quando minha cachorra Laika teve filhotinhos a primeira vez. Fiquei um dia parada na porta do banheirinho onde ela dormia e chorei, pensando que eu iria esquecer aquela coisa linda. Guardei até um pedaço de ração numa caixinha depois, mas não precisei, pois nunca esqueci disso. Foi há uns 13 anos atrás.

– Quando estava no avião, chegando no Cairo de noite. E vi uma, duas, dezenas de luzes verdes brilhando no meio da cidade. Na hora sabia que eram mesquitas, tinha certeza que estava lá! Foi o primeiro momento de paz em vários meses, de que a jornada estava no fim.

– De novo no Chile, a mesma viagem. Fomos escalar o vulcão Villarica e no grupo só tinha israelenses antipáticos. Saíram correndo na subida com o instrutor e fiquei para trás. Meus irmãos também “muito legais” tinham mais preparo físico e conseguiram acompanhar o grupo dos chatos. Só sei que, de repente, me vi numa montanha íngreme enorme, gelada, cheia de neve e sozinha. Segui a trilha pelos passos deixados por eles no meu ritmo. Uma hora sentei e ouvi apenas o vento. Nunca tinha escutado aquele silêncio absoluto antes e falei sozinha bem alto “que coisa fantásticaaaaa”.  Não sei como subi a montanha até o fim, quando cheguei o grupo já ia descer, mas tiveram que esperar uma meia hora pois eu praticamente desmaei e fiquei caída no chão. Meus irmãos estavam agora preocupados, eles acharam que eu tinha descido ha tempos e estava os esperando lá embaixo. Só falei “eu juro que nunca mais subo uma montanha na minha vida!!!!!!!!!”. Sentindo aquela fumaça de enxofre do vulcão e rindo sozinha. Foi um momento sublime, desde então acredito que, com força de vontade, eu sou capaz de qualquer coisa.

villarica

Grupos de israelenses, minha irmã de costas... ainda estávamos no meio do caminho e eu ainda tinha um grupo :-s

– Quando cheguei naquele apartamento de Sidy Gaber, no quarto cor de rosa. Eu e Mostafa sentamos ali e pela primeira vez conversamos olhando nos olhos. Não lembro nada da conversa (memória falhou mesmo), mas lembro daqueles primeiros momentos, dos sentimentos borbulhando.

Ah, agora escrevendo esqueci os outros momentos… ehehehe estes foram os que lembrei agora.

Estou fugindo do tema do blog estes dias, mas prometo voltar em breve antes que vocês fujam daqui.

Anúncios

Sobre Masr culinária mediterrânea

Encomendas para Zona Oeste e Centro de São Paulo. Outras localidades sob consulta. Como trabalhamos com matéria-prima fresca, o ideal é que pedimos sejam feitos com antecedência.

Publicado em maio 22, 2009, em De tudo um pouco... e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 14 Comentários.

  1. Eu tenho uma otima memoria,realmente nada eu esqueco..que bom voce falar hoje sobre o Chile..tenho muitos boas recordacoes deste Pais..realmente estar em cima da montanha com aquela neve toda eh FANTASTICO..eh um momento UNICO..
    So tem uma coisa no post que nao gostei…Nao fuja de nada nao..o blog eh seu e vc escreve o que tem vontade..quem nao gostar que va catar coquinho..Nao vale a pena se stressar por ninguem..a vida eh assim..quem nao gosta nao leia..
    Beijo

  2. moniquerosabrasil

    Ai! Adoro quando você foge do tema e ainda assim escrevem coisas interessantissímas..
    ps:escrevi um post falando quais são as obrigações da mulher mulçumana segundo o alcorão e não o costume.

  3. moniquerosabrasil

    já escreveu sobre isso antes?

  4. moniquerosabrasil

    Ai! Adoro quando você foge do tema e ainda assim escrevem coisas interessantissímas..
    ps:escreve um post falando quais são as obrigações da mulher mulçumana segundo o alcorão e não o costume.
    já escreveu sobre isso antes?

  5. O que seria da nossa vida, da nossa personalidade se não fossem as nossas memórias? Elas fazem de nós quem nós somos. Sem elas, não lembramos pessoas, casos, sentimentos…ainda bem que encontraste esse mecanismo e que ele funciona!!!!

  6. moniquerosabrasil

    respondi teu comentário.Recebeu no email?

  7. Ninguém vai fugir daqui porque o que importa é você e não sobre o que você escreve!!!!!

  8. IHHH !! TÁ RUIM, HÉIN? VC? SE LIVRAR DE MIM? QUERO VER!!KKKKKKKKKK KKKKKKKKKKKKK KKKKKKK

  9. Também tenho péssima memória, então quando são momentos que envolvem muita emoção parece que tudo cá dentro bloqueia… que raiva! Quanto mais quero ter tudo presente na memória mais difícil se torna manter viva essa memória. Vou tentar a sua técnica.
    Beijos
    Cris (Portugal)

  10. Olha eu achei o artigo super legal, acho que voce deve escrever sobre tudo que quiser….afinal eh forma como escreve que chama a atencao.
    Adorei.
    abracos

  11. Eu tenho uma memória de elefante. Lembro de todos os detalhes, isso desde de pequena. Graças a Deus! Tenho uma amiga que não lembra nada e as vezes fico meio que falando sozinha, então guardo as recordações pra mim. Momentos de folia, de diversão, de carinho fazem de nos o que nos somos como a Camila disse. E nos momentos de tristeza ou quando parecemos perdidos nos trazem de volta ao eixo, lembrando que a vida não eé feita só de tempestades.

    Bjos

  12. Que bom que fugiu do tema. Adorei.

    Agora entendi aquele monte de papel de balas que você guardava embaixo do seu colchão.

    Te amo muito.

  13. marinaaaaaaaaaa… liga não, tb não me lembro do que conversei com o ahmed nos primeiros momentos, e nem na viajem pra Alex… mas a 1ª cois q falei pra ele acho q foi “vc tá atrasado!” hehehehe e o pior… eu lembro de certa ocasião e de noite… esqueço qual foi a coisa q lembrei 😀 hahahaha

Deixe um comentário e vamos interagir!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: