Ramadã 2009 – uma noite muito boa


Saí correndo do trabalho ontem. Depois de um dia mega corrido, com o lançamento de um site, não sei como consegui. Já tinha avisado a mama egípcia pelo telefone para estar pronta às 17hs.

Cheguei em casa voando, vesti o hijab e fiz a ablução (os muçulmanos se lavam de forma específica para rezar). Entrei voando no carro, o segurança da rua me estranhou um pouco e saí quase cantando pneu. Como diz meu irmão, eu sou daquelas pessoas que se transforma ao pegar no volante, viro praticamente uma maníaca e tenho paciência zero para lerdos na minha frente. Ainda mais com o tempo contado como estava.

Marginal Tietê ou ‘minhocão’? Eu ia encontrar trânsito de qualquer forma, preferi pelo menos arriscado e fui para o elevado. Muitos carros mas o tráfego fluía. Não sabia o caminho, tinha impresso um mapa no Google e ia tentar a sorte. Mas tudo foi dando certo, tanto que cheguei na mesquita apenas 40 minutos depois (Para quem vive em SP sabe como isso às vezes é impossível).

Era a primeira vez que a mama egípcia ia numa mesquita no Brasil e queria ter certeza de chegar antes da reza do maghreb, que marca a quebra do jejum. Ela estava super animada, mas achou estranho uma mesquita em forma de prédio eheheeh No Egito as mesquitas quase sempre tem minaretes e uma arquitetura típica. Aqui no Brasil não, uma mesquita pode até ter cara de mesquita, mas muitas são prédios ou salas normais.

Entramos e subimos para a sala das mulheres. Tinha pouca gente, duas só quando chegamos. Nos receberam com abraços e sorrisos, eram senhoras brasileiras convertidas. Deu o horário da oração, quebramos o jejum com tâmaras deliciosas.  Apareceram mais algumas mulheres e algumas jovens. Rezamos em comunidade. Mama egípcia mal se continha de alegria, agora sim ela sentia o ramadã!

Subimos para jantar no salão de cima (para quem não sabe, as mesquitas no mês do Ramadã servem a quebra de jejum para os fiéis). A comida era libanesa e minha sogra estranhou o quibe cru eehehe Eu comi um arroz com miúdos de frango e fattah de iogurte. Excelente para esse momento. Mas mais feliz ainda minha sogra ficou ao ver tantos muçulmanos juntos, quebrando o jejum no mesmo momento! Masha Allah, ela dizia.

Estávamos sentadas na mesa com as duas brasileiras (aliás, Halima, se vc estiver lendo isso aqui, as duas disseram que sentem muitoooooooooooooooo a sua falta) e ficamos batendo papo, eu de tradutora e a mama só contemplando aquele momento especial.

O salão foi esvaziando e decidimos ficar para o taraweh, a oração especial do mês do Ramadã. Subimos para a sala das mulheres e ninguém estava lá. Então fiquei eu, mama e a senhora brasileira convertida. Conversamos sobre a sura de Youssef, sobre a linda história de vida dele e sobre os detalhes da passagem no Alcorão. Mama ia lendo em árabe e traduzindo no inglês, que eu traduzia para o português para a outra irmã.

Depois de uma hora mais ou menos, chegaram um monte de árabes por lá. Acredito que elas quebram o jejum em casa e depois vão de noite rezar na mesquita. As mais velhas vieram nos cumprimentar com alegria, e logo mama começou a conversar. Ficou bastante tempo com uma mulher muito bonita, de olhos azuis.  Ela era do Líbano e contou que adora o Egito e ficou conversando com a gente. Ela também me contou toda a história de Youssef de novo e eu ouvi atenta em português.

Depois veio uma outra senhora e falou umas coisas que eu não entendi nada pra minha sogra. Aí foi o momento engraçado da noite: ela queria saber o que o filho dela fazia, ou seja, meu Musta, e – pasmem – queria saber quanto que ele ganhava!! ahahha Perguntou assim na lata depois de saber que ele estava aqui há dois anos: Nossa, se ele é professor deve ser muito rico. Quanto ele ganha? 🙂 Eu sei que em algumas culturais orientais, como na China, é normal perguntar o salário. Agora minhas leitoras libanesas me respondam se esse tipo de pergunta é normal no Líbano também eehehe

Bom, aí veio o chamado da oração novamente. E rezamos a oração da noite, e depois as muitas rakas (pedaços de oração) do taraweh. Os sheiks são egípcios e tem uma voz maravilhosa! Vale e pena para quem está em SP conhecer.

Para quem não faz idéia de como é a oração. Escutem os chamados para a reza em Alexandria aqui abaixo. Isso é ouvido todos os dias no Egito:

E  o taraweh, feito em Madina. Eles transmitem todos os dias do ramadan também no ART, para quem tiver, se não me engano é por volta das 9, 10hs da noite.

E essa é a foto da mesquita em São Paulo que estávamos ontem:

6438661

Foi uma noite muito boa e inesquecível…

Anúncios

Sobre Masr culinária mediterrânea

Encomendas para Zona Oeste e Centro de São Paulo. Outras localidades sob consulta. Como trabalhamos com matéria-prima fresca, o ideal é que pedimos sejam feitos com antecedência.

Publicado em agosto 27, 2009, em No Brasil e marcado como , , , . Adicione o link aos favoritos. 16 Comentários.

  1. Libanesa bonita de olhos azuis? Capaz que era a professora Abla.

    Ahhh, por que não me disse que ia no Pari ontem? Quando você vai de novo? Queria ver você e conhecer sua sogra 😀

  2. Ai que lindo, que lindo, que lindo!!

  3. Marina vc vai na Liga?
    Muito legal que Mama já fez amizades aqui no Brasil. 🙂

  4. Oi Marina, achei super legal a tua sogra assim toda enturmada aqui no Brasil, ela deve estar adorando.
    Sabe, eu queria muito levar o gringo numa mesquita quando ele vier ao Brasil, acho que ele ia adorar.
    Bjocassss

  5. Nossa, que povo que come e reza 😉

    Marina, isso de perguntar salário é a coisa mais normal na India tbm… pior que muitos ainda conversam abertamente sobre isso no Orkut. Qdo Anupam vier morar aqui, vai ter q ter uma aula sobre isso. Ele ainda não entende q sair dizendo o próprio salário = pedir p ser sequestrado/roubado, e que perguntar o salario dos outros= falta de educação !!!

  6. hihihihi agora q vi q meu comentario ficou quase título de livro: Comer, Rezar , Amar [:D]

  7. Lembre-se de mostrar as fotos da mesquita de Santo Amaro para ela, acho que é mais parecida com a arquitetura de lá e se quiser pode esticar e vir aqui em casa com ela, será um prazer! Lembra moro pertinho!

  8. Ahh esqueci não sumi não! Logo apareço!

  9. LIndoooooooooo demais,os videos sao emocionantes.
    Eh muito legal as historias com sua sogra ai no Brasil Marina,eu quis levar meu marido na mesquita de Mogi Das Cruzes qdo ele esteve no Brasil comigo mas acabou nao dando certo,fui sozinha mas nao entrei,fiquei maravilhada com a beleza e o ar energizante que senti soh de olhar por fora,foi inesquecivel pra mim.

  10. Halima UmM Hisham

    Assalam waleykum Mah!

    Haaaaaaa depois dessa nao poderia deixar de comentar!
    Que saudades que deu desse clima! O Ramadan aqui no Egito esta sendo bom, mas como estamos so eu e meu marido estamos sentindo muita falta da mesquita e de nossos irmaos sinceros.
    Que bom que a Mama pode se sentir em casa por la!

    Se vc for de novo e alguem perguntr por mim diga que sinto muitas saudades de todos e fazem muita falta pra mim, inclusive a Abla que eh uma irma mashallah!
    Beijos a vcs!
    Ramadan Mubarak!

  11. 🙂
    To louca para conhecer essa mesquita!

  12. Meninas, vcs tem notícias da Dolores Leal?
    Já faz um bom tempo que ela ñ aparece.
    A princípio pensei q fosse aquelas ausências rápidas,
    mas não ela sumiu mesmo.

  13. Xiii tô perdida…

    Isso que dá entrar no bonde andando e ainda querer sentar na janelinha…

    Onde estava seu maridão?

    Sua hamaty tava aí??? Claro né… Que lindo!!!

    Nossa e que mesquita linda…

    bjs

  14. Abençoado Ramadan para você.

Deixe um comentário e vamos interagir!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: