Tempos de espera. E o ramadã


Há tempos em que tudo parece andar em câmera lenta. Quanto mais você pede pressa para o relógio, mais ele sorri maroto, dá de ombros para seu pedido e continua enrolando. O tic tac de quem espera transforma segundos em minutos. E o grande problema é quando as repostas não têm data para chegar.

Existem muitas coisas que eu ainda espero desta vida, apesar de já ter tido muito. Estou começando a aceitar o fato de que algumas – principalmente as mais delicadas – só chegam até mim após muito esforço, tombos e quedas feias. É por causa delas que às vezes derramo lágrimas silenciosas, geralmente no trânsito, quando toca aquela música triste no rádio e não tenho como escapar de meus pensamentos. Quando este arroubo chega, olho para o céu e peço, como todo reles mortal faz para seu Deus.

Mas a vida segue. Não sou de eternas lamúrias ou demonstrar meu desassossego. Nunca acreditei mesmo em contos de fadas e que alguma coisa cai do céu. Tudo que é bom e de sucesso, só vem com esforço. Apesar de que alguns bons milagres já me aconteceram nesta vida,  suficientes para eu sempre ter boas histórias na ponta da língua. Mas como ser humano que sou, sempre há aquele algo a mais, bem específico, que fica me cutucando a mente. É o que quero, o que preciso, o que espero.

Enquanto fico aguardando, porém, tenho muito de bom para me manter otimista e positiva. Na próxima semana, começa a época do ano em que mais me sinto em outra dimensão, ligada com meu passado (não tão longínquo) de quando eu tinha 23 anos. Foi nesta época que descobri todo um mundo novo, que minha vida deu sua maior guinada.  Tudo, a partir do ramadan de 2006, passou a ser diferente.

Nesta época, eu deixo de lado meu jeito mais rebelde. Foco no jejum, em estar centrada e em busca de Deus. Tento não falar tanto palavrão, deixar as fofocas de lado, aquela coisa de ser uma pessoa melhor, sabe? Assim como o Natal inspira isso em certas pessoas, ou a Páscoa, ou alguma outra celebração religiosa, para mim o Ramadan tem esse impacto. E claro, com a intenção de que esta mudança não seja apenas nos 30 dias de sua duração, mas algo para a vida toda.

E no que o ramadan me ajuda? Ao jejuar durante o dia – por 30 longoooos dias – eu ganho uma disciplina muito além do meu normal. O Ramadan tira de mim o que tenho de pior, a minha ansiedade, a atitude impensada, as palavras vãs, o descuido com as coisas da vida. Dá uma vontade muito grande de ser melhor, de seguir o caminho certo, de parar de errar por preguiça.

Aliado a isso, as memórias da minha maior aventura, que foi o Egito, ganham mais vida na minha cabeça. Fico saudosista, feliz. Tudo o que acontece no ramadan, fica guardado bem no fundo do meu coração.

 

A quem aproveita esta época, RAMADAN KARIM!!!

 

Anúncios

Sobre Masr culinária mediterrânea

Encomendas para Zona Oeste e Centro de São Paulo. Outras localidades sob consulta. Como trabalhamos com matéria-prima fresca, o ideal é que pedimos sejam feitos com antecedência.

Publicado em julho 15, 2012, em No Brasil e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Lindo texto!

  2. Olá Marina!
    Excelente post! Tb me sinto assim as vezes, quase q numa monotonia…
    Tb estou no aguardo do Ramadan. Nessa epoca me sinto mais forte e até orgulhosa de mim, mas vou confessar que não é fácil…
    Tenho sofrido por não usar o véu e qdo uso sofro também, por sentir as pessoas me julgando.
    Estava com saudades dos seus posts!

    Ramadam Karim pra vc tb!!!

Deixe um comentário e vamos interagir!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: