Hibernando


Escrever para mim não é apenas um hobby, ato de alívio ou momento de descontração. Escrever é o meu modo de vida. Sim, eu ganho din din escrevendo, todos os dias, todas as horas, inclusive com plantões de final de semana e feriados. Desde que completei 18 anos é assim que compro minhas roupas, mantenho minha casa, faço minhas viagens, sobrevivo.

Trabalhar com a palavra, porém, não é tão simples quanto “gostar de escrever”. Sim, eu amo escrever. Sim, eu sei falar por meio das letras tecladas neste blog ou nas mensagens da internet muito mais do que pela minha boca – esta que geralmente é muito mal aplicada. Quando eu falo por sons, erro demais, falo coisas sem pensar, passo a defender causas que nem acredito, sou rápida, cruel, tento muitas vezes fazer uma piada, mas que pelo meu tom mais parece uma crítica ferina.

Claro que o meu escrever livre e solto também traz parte desse meu jeito ácido de ser, mas aqui posso voltar, repensar, refletir. Quantas vezes já escrevi um post todo e guardo para analisar no dia seguinte. E deleto tudo correndo, após perceber que meu estado mental só me fez escrever asneiras. Mas aqui, procuro não editar, nem cortar, muitas vezes os erros de digitação saltam aos olhos porque se eu reler, vou apagar.

Mas, como já falei, gostar de escrever e trabalhar com isso não significa uma lua de mel eterna. Trabalhar com criação cansa a cabeça. Eu digito mais rápido do que a maioria das pessoas, já faz muitos anos que meus olhos não miram o teclado, estão sempre fixamente na tela agilizando meu processo criativo. Eu escrevo muito, talvez já tenha escrito milhares de páginas. Milhões das minhas palavras já  foram impressas em jornais, bilhões acredito eu na internet. Sou uma pessoa que gosta de introduzir conteúdo, não apenas recebê-lo. Mas esta carga toda que a escrita me impôs ao longo dos anos se tornou um vício dolorido. Apesar de tudo que já disse aqui e já escrevi em meus trabalhos, ainda falta muito do que eu realmente quero para ser escrito.

Neste dilema eterno, já voltei diversas vezes para casa pensando no texto perfeito, formatando na minha cabeça como devo escrever esta história que me martela tanto. Mas me falta coragem, me falta fôlego. Tem uma história muito longa ainda guardada dentro de mim e ela anda me estrangulando. Por isso não tenho vindo aqui escrever mais nada, pois o desejo de escrever outra coisa é muito mais pesado.

Espero que nas próximas férias eu consiga descarregar um pouco do que está nesse meu HD cerebral em algumas páginas. O problema é que ocupo meu tempo escrevendo tanto e tanto, que nas horas livres eu não tenho forças. É como um pedreiro que trabalha erguendo paredes. No final de semana, ele não tem ânimo para carregar um tijolo sequer, mesmo que seja para a construção de sua própria casa.

Anúncios

Sobre Masr culinária mediterrânea

Encomendas para Zona Oeste e Centro de São Paulo. Outras localidades sob consulta. Como trabalhamos com matéria-prima fresca, o ideal é que pedimos sejam feitos com antecedência.

Publicado em setembro 24, 2012, em No Brasil e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. Sou sua fã, sabe disso. Beijos!!!

  2. Olá Marina!

    Vc quer escrever um livro?
    Sinto falta dos seus posts, mas se vc está tão absorvida com outras atividades, isso é muito compreensível.
    Eu tenho vontade de escrever um livro, mas me falta forças… rs… Não sei se tenho o dom para isso…
    Vc já leu o livro A Massai Branca? A minha história não é tão fantástica quanto a dela, mas tenho vontade de escrever um livro parecido…
    Admiro muito você!!!

    Beijos.

  3. Olá, Marina!
    Estou avaliando a possibilidade de ir morar em Alexandria, gostaria de conversar um pouco contigo a respeito.
    Se puder me mande um e-mail, por favor.

    Át.
    Rogerio

  4. Gosto muito de seu blog e sinto falta de mais publicações, você escreve muito bem!

    Estou começando meu blog agora, sobre brasileira em relacionamento com estrangeiro, espero você lá.

    Um abraço!

  5. ô Marina, sem querer me meter e já e metendo… já pensaste em ir gravando essas ideias ou textos não escritos num mp3 player ?
    Assim, um dia quem sabe, vc pode ir ouvindo tudo, melhorar, etc e o trabalho mais braçal de digitar até outra pessoa pode fazer por vc, contrata alguém e vai pagando aos poucos por página 😉

Deixe um comentário e vamos interagir!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: