O que não falar para um estrangeiro


É, já se passaram anos, Musta nem tem mais sotaque. Mas quando alguém descobre que ele é “gringo” ou quando alguém descobre que sou casada com um egípcio, algumas pérolas persistem em continuar. E detalhe, eu não entendo como as pessoas não tem noção de que mesmo em tom de curiosidade, algumas das perguntas são tão grosseiras e ásperas! Fico imaginando se fosse ao contrário, a gente fazendo as perguntas no mesmo tom do que perguntam eheheh

A gente leva de boa esse tipo de pergunta, no tom de brincadeira, mas de vez em quando me cansa um pouco o tom pouco cordial dos brasileiros ao perguntar coisas sem a mínima noção de nada.

No domingo, fomos a uma loja pois o marido precisava de uma calça social com urgência. Aí ele entrou no provador – até então o vendedor não tinha se tocado que ele não era daqui – e perguntou para mim:

– Qual é o nome dele? – respondi e ele me olhou com aquela cara de espanto.

– Ele é do Egito, é e esse o nome mesmo… – já explicando, como sempre faço.

-Ah tá… nossa, mas morar aqui no Brasil é bem melhor, né? – pergunta sem noção 1. Detalhe, as pessoas perguntam afirmando, isso que me mata. Meu filho, se é melhor ou pior, primeiro nem eu que já morei nos dois lugares sei responder isso com clareza, imagina você que nem faz ideia do que é o Egito.

– Depende muito, eu já morei lá e tem pontos bons e ruins como em qualquer lugar. – minha resposta padrão. Mas ele não sossega.

-Ai meu Deus, mas lá é terrível para as mulheres, né? – pergunta sem noção 2. Vontade de falar: é meu filho, tá vendo aqui minha cara cheia de cicatriz, minhas roupas rasgadas e meu pé manco, tudo isso de tanto que apanhei lá no Egito. Respiro fundo:

– Não é não, esquece o que você vê na televisão. Tem horas que eu acho que elas são muito mais bem tratadas lá do que aqui. – resposta padrão 2.

***

Aí estamos numa reunião, com conhecidos. Alguém sempre chega:

– Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh! (gritinho histérico) Você é o Mustaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!! Ouvi tanto falar de você, que máximo, você é do Egito, né? – detalhe, brasileiros sempre perguntam afirmando, o que para um estrangeiro, soa meio agressivo conforme a bomba que a pessoa pergunta.

– Sim, sou eu. – responde o habiby.

– Nossa, mas que bom que você mora no Brasil, né? Aqui é muito melhor, né? – meu, de novo não, hoje não!!! Detalhe, tem gente que nem deixa você responder e continua:

– Por que aqui a gente é amigo, a gente se diverte, o Brasil todo estrangeiro amaaaaaaa, né? E aqui nossa comida, ai meu Deus, nossa comida é muito boa, né? Ahhh, e no Brasil também é mais limpo, né? (ahã, o que vejo nas calçadas todo dia são fruto da minha imaginação) A gente toma banho todo dia, nossa, na Europa eles não tomam banho. (ãhn, qual a relação? E, vai pegar um metrô na hora de pico para ver o perfume). E aqui tem a natureza, as praias, nossa, que bom que você veio para cá, né? (e continua por mais uns minutos).

– É sim, muito legal o Brasil. – resposta padrão 3.

Vamos discutir? Não somos nem loucos, né? 😀

 

Anúncios

Sobre Masr culinária mediterrânea

Encomendas para Zona Oeste e Centro de São Paulo. Outras localidades sob consulta. Como trabalhamos com matéria-prima fresca, o ideal é que pedimos sejam feitos com antecedência.

Publicado em outubro 18, 2012, em No Brasil, No Egito e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. 14 Comentários.

  1. kkkkkkkkkkkkkkk nossssssssssa, acontece isso mesmo. É uma mistura de falta de educação com ignorância!!!!

    Felizmente meu marido nem liga mais pra isso e leva na esportiva. Agora que ele já está falando português (não 100% mas se faz entender muito bem), vivem rindo da cara dele por causa do forte sotaque e por trocar uma palavra ou outra ou errar num tempo verbal (as vezes erra feio!). No começo ele se chateava bastante e quase começou a ter raiva do idioma, agora ele nem liga mais para isso.
    Fora falarem que aqui é melhor do que lá (sem nem conhecerem a Jordânia).
    Alias, como a Jordânia é um país beeeeeeeem menos conhecido do que o Egito, as pessoas se perdem no mapa. Um dia um médico perguntou para ele: “desculpe, mas não faço idéia onde fica seu país, poderia me dizer?”

    É cada uma pra colecionar, rs

  2. kkkkkk… é bem por aí mesmo. Ontem fomos em certo lugar e o rapaz da recepção precisava anotar nossos nomes. Quando eu soletrei o nome de meu marido, ele exclamou: “Nossa, que nome criativo!” kkkkkkk… Aí eu disse que o nome não era criativo, mas que ele é estrangeiro! rs… Coitado, ficou com cara de tacho…
    E quanto às perguntas toscas, geralmente as pessoas evitam por minha causa, pois não sou nada simpática com gente sem noção. Claro que sempre sai uma pérola, que eu, super indelicadamente, corto pela raiz rs…

  3. Eu faço idéia do que vcs passam, realmente é complicado lhe dar com a curiosidade, com as diferenças culturais, religiosas e preconceitos das pessoas….

  4. BOM DIA..NAO SOU EGYPCIA, NEM ARABE, NADA DO MIDDLE EAST, MAS FICO MUITO TRISTE COMA IGNORANCIA DO BRASILEIRO EM RELAÇÃO A OUTRAS CULTURAS, E POR MAIS Q VC INSISTA EM EXPLICAR, ELES NAO ACEITAM….TENHO MUITOS AMIGOS NO EGITO E APRENDI MUITO COM ELES…EU TB ERA UM POUCO IGNORANTE QTO A CULTURA DELES..E HJ MUITO ME ENTRISTECE QDO AS PESSOAS NAO QUEREM OUVIR Q ESTAO ERRADAS QTO A OUTRAS PESSOAS,,MUITOS NEM SABEM ONDE FICA A AFRICA..IMAGINE O EGITO:D..QDO COMEÇAM A DEBOCHAR DOS MEUS AMIGOS, SAIO DE PERTO E IGNORO..IMAGINO QUANTO SAPO VC TEM Q ENGOLIR…HAJA PACIENCIA…GOSTO MUITO DOS SEUS POSTS..BJS

  5. Brasileiro é muito sem noção mesmo…

  6. Adorei!! Ainda estou no “nível 1” rsrsr pois ele ainda não sabe falar português, então as perguntas chegam na velocidade da luz! Antes eu respondia tudo, era mais simpática, hoje mudei minha postura pois muita gente faz perguntas indiscretas, elas se sentem à vontade de perguntar e opinar o que quiserem mas não percebem que isso chateia.

    Eu penso que existem 2 tipos de questionadores: O primeiro, faz perguntas para fins de conhecimento, acho até humildade da parte dessa pessoa em mostrar o que não sabe e que pode aprender algo com você. Admiro isso! O segundo tipo, é a pergunta do curioso-sabe-tudo, o curioso pergunta com tom de afirmação e tece opiniões, como se tivesse absoluta certeza sobre o que está dizendo, e são essas pessoas que causam nos causam estranheza e ofensas.

    bjss

  7. Olá! Bom, eu nem encontrei ainda o meu habib, mas nchallah será em janeiro, na Tunísia. Ele é da Argélia, mas quando comento com uma nova pessoa que ainda não conhece minha história virtual os meus planos, algumas abominam e dizem que sou mesmo uma louca. Mas, nem falo o nome dele, justamente porque sei que vai causar estranheza e comentários. E nem é tão complicado assim rsrsr. Mas, fico imaginando como deve ser mesmo difícil a vida de pessoas oriundas desses países, casados com brasileiras (os), em meio a pessoas que não possuem o mínimo do bom senso. Eu sou bastante curiosa e é muito bem provável que estando ao lado de alguém de um lugar tão mágico como os países do oriente médio, eu, o faria muitas perguntas, tentando sempre utilizar o tom e a medida do bom senso. Mas isso porque gosto de aprender sobre coisas que não tenho condições de vivenciá-las. Mas, às meninas corajosas e casadas com os habibs vivendo aqui no Brasil, eu desejo um milhão de sorte e paciência para vencer os inconvenientes do dia a dia em meio ao nosso povo que tanto carece de cultura, a começar por mim. Um grande beijo a vocês…..

  8. Marina ….kkkk – vc tem razao !!! Perguntam afirmando …percebo isso, porque as pessoas conversam comigo agora como se eu fosse gringa e tudo isso que vc escreveu – perguntam pra mim!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk – A mais hilaria foi me perguntar afirmando – Nossa, mas como vc aprendeu bem o portugues???!!!!! – Eu digo, eeeee – pra vc ver!!! E tipico me perguntarem isso – se gosto de viver no Brasil, que aqui e melhor e la ( la eu n sei q lugar, pq n sei se eles acham q eu sou da Turquia, Libano, Egito, Iraque …) A quantidade de perolas e imensa ! rs Bjssssss

  9. Oi Marina! Quando li o seu post passou um filme aqui…aqui em Portugal, a estrangeira sou eu. Já ouvi de tudo…as brasileiras aqui têm uma conotação péssima. Mas além disso, que é bastante desagradável, eu já ouvi pérolas como : veio para cá trabalhar, não foi?No Brasil é muito mau…aí eu disse: Não. Nem queria vir, vim por causa do meu marido, mas lá no Brasil é bom, aliás, o meu trabalho era até melhor do que esse, porque no Brasil quem tem estudos consegue um trabalho bom, aqui isso é só para conhecidos…kkkkk. A outra pérola é pensar que brasileiro não tem estudos…uma vez uma colega de curso ligou pra mim e eu atendi, estava no meu trabalho…então uma cliente chegou e eu pedi licença, desliguei o telefone e fui atender a cliente, ela diz assim: Que bom, tá terminando os estudos né? E eu disse: Já terminei… Mas você não está estudando? E eu disse: sim, mas é outro curso superior…kkkkkkkkkk. Regra geral, eles dizem isso pelo que passa na TV porque nunca estiveram, nem viveram no Brasil para saber. Aliás, é como você diz: Há de tudo em todo lugar, não dá para comparar o Brasil com Portugal, nem Portugal com o Brasil, há coisas boas e ruins nos dois países e eu gosto dos dois. 😉 Um grande abraço!

  10. michelle carvalho

    Poxa,nem todo brasileiro é assim….kkkkk aí to paquerando um indiano..esse texto me ajudou em algumas questões que eu não sabia…valeu 🙂

  11. As pessoas não fazem esses comentários com maldadé, mas por ignorancia e por patriotismo barato.
    Minha avó dizia que nunca ia sair do Brasil até conhecer tudo o que havia de bonito prá se ver aqui. Já ouvi muita gente dizeer que o Brasil é o país mais bonito do mundo, que o brasileiro é o mais amigável, que …
    eu já nem ligo mais.
    Nem me importo com o contrário. Das pessoas acharem que no Brasil só tem mulata do Sargenteli, jogador de futebol e café.
    Sorrio, deixo prá lá.
    Moro em Bahrain. Ouço barbaridades sobre o Brasil e ouço barbaridades sobre Bahrain ( e não são os brasileiros que me perguntam não, muitas vezes são amigos de outros países onde eu morei, por que poucos brasucas sabem onde fica Bahrain) : você anda de burca? você pode dirigir? Você pode trabalhra? Você pode…

    e eu agradeço todos os dias por ter tido a oportunidade de conhecer todos esses lugares, de aprender sobre essas culturas e religiões tão diferentes da minha. Mas são poucas as pessoas que tem essa sorte…

  12. Pois é, lembra então o que o egipcio acha do Brasil? A mesma coisa.: ” Nossa vc é brasileira! Mas eu achei que brasileiro fosse assim… mais escuro, cabelo cacheado. Vc sabe joga futebol? Ah meu sonho é ir pra lá! Deve ser lindo, tudo melhor! E a economia entao? perfeita! O seu presidente, como é o nome dele? Lula né? nossa ele é um dos melhores do mundo!… é dificil de arrnajar emprego la? eu tava pensando….” e por aí vai. É bem cansativo de explicar que o país não é lá o que a midia mostra.

  13. Bom dia. Gostaria de falar com você mas em particular. Você poderia entrar em contato comigo? Obrigada.

  14. Morgana Morgesrtein

    Tudo o que falaram pro seu marido é verdade. mas com certeza machuca e magoa ouvir uma coisa dessa. sou israelense, assim que sai do serviço militar fui dar um rolé no egito. olha, pra nunca mais, é o pior país arabe pra nascer mulher, mobilidade social quase zero, pobreza muito maior que no Brasil. Claro, Egito nao é o pior país do mundo, mas é um país ruim sim.
    Se o egito fosse melhor vocês estariam la cm certeza, alias, os arabes não conseguem resolver seus problemas porque estão todos com os mísseis apontados pra Israel.

Deixe um comentário e vamos interagir!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: